terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

sexta-feira, 20 de abril de 2012

as

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O Preço dos Alimentos

À dois meses surgiu a notícia de que uma pessoa apenas podia levar cerca de dois quilos de açucar para casa. E foi assim que, com medo (causado pela notícia), as pessoas esgotaram o açucar esgotou-se em todo o país. E foi assim durante duas semanas. Depois passou. Agora há bastante açucar para todas as pessoas.

O que agora apareçe na televisão é a súbida dos preços dos alimentos que vão ocorrer no próximo timestre. Ao que poderá isto levar? Não sei. Mas com a súbida dos preços mesmo que as pessoas comprem, vai ser muito menos. Quanto menos se compra mais sobem os preços, etc, etc. O governo europeu e mundial não consegue aprender que para acabar com a crise o baixar de preço faz com que as pessoas comprem mais, e passam a ter mais lucro. No início podem ter mais trabalho para conseguir os alimentos e podem ainda ter algumas dívidas, mas mais tarde o lucro vai ser maior. É preciso apostar se queremos ganhar algo. O que o governo quer é já ter o lucro e não esperar por ele. Quantos portugueses esperam por conseguir algo, e só depois mais tarde é que conseguem? São milhares.

O poder faz com que as pessoas mudem. Tornam-se mais egoístas, egocêntricas, e têm pressa de ainda ter mais poder e ter mais segurança no lugar que têm. Por isso querem ter o lucro o mais rápido possível. A situação do país nunca vai ficar estável até aparecer alguém que venha com a ideia de melhorar este governo, sem pensar no poder e no lugar que vai ter nele.

Será que a Mãe/Pai podem ser os vossos melhores amigos?

Não. Esta é a resposta de um profissional que foi responder a esta pergunta à Companhia das Manhãs na Sic. Foi um debate interessante o qual não deixei de ver, e realmente o senhor tem razão no que disse. Vejamos bem: Uma mãe ou um pai podem realmente ser nossos amigos, mas não passam disso. Um amigo vê-se pelas suas acções e não pelas suas palavras claro, e um pai faz muito por nós é verdade. Mas a sua função é ser pai. E um dia também temos que ter isso em mente quando tivermos filhos. Um filho, falando no geral, mesmo que considerasse um pai como seu melhor amigo, ele não é. Um melhor amigo é sempre aquele com quem vamos ter para contar-mos certas coisas que não contamos aos pais, e com quem partilhamos segredos nossos. Um pai que dê espaço ao seu filho, e que pense desta maneira só o torna mais maturo. Um pai que esteja sempre ao pé do filho, que nunca o largue, não está a prepará-lo para a vida. Precisamos de ter espaço para conhecermos novas pessoas com várias maneiras de ver a vida e poder aprender algo com elas para um dia poder ter o nosso próprio pensamento e a nossa maneira de ver vida. Caso não haja esse espaço, um pai não está a fazer a sua função. Primeiro é um pai inseguro, e ssegundo não está a torná-lo um adulto pronto para a vida.

A função de um Pai, é ser Pai. Ou seja, tornar o filho o mais possível pronto para a vida. Claro que são amigos, mas só são isso.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

The Hobbit

Já faz um tempo desde que saiu o último filme de O Senhor dos Anéis. A triologia foi vista por milhões de pessoas que adoraram a sua história. Eu sou uma delas. Mas ninguém disse que era o fim. Quem leu os livros sabe que o autor, J.R. Tolkien, escreveu mais um deveria de ter sido lançado entre o 2o e o 3o filme. O seu nome: The Hobbit.
Nos últimos anos muita gente tem-se questionado sobre quando começam as filmagens do filme. Agora podem ficar felizes. As filmagens vão começar em Março de 2011 e o filme deverá sair em 2012, divido por duas partes. The Hobbit é um complemento a Senhor dos Anéis, e devido à tamanha fama da saga, finalmente vai começar a criação do filme. Os actores também estavam em outros projectos logo é natural terem demorado tanto tempo a reunir todos mais uma vez. O realizador é o mesmo que The King Kong.

Abraços caros leitores ;)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

A queda do reinado de Mubarak


Foi mais uma data que entrou para a História Mundial e a História do Egipto. Durante 18 anos foi o seu reinado, e anos depois as pessoas fartaram-se ao ponto de toda a região de Cairo encher as estradas com protestos e a pedir a sua demissão. Pessoas morreram, pessoas ficaram doentes, e uma imagem foi destruída. O reinado de Mubarak acabou.

As pessoas não aguentam para sempre um reinado em que são sempre prejudicadas. Mais tarde ou mais cedo acontece algo e revoltam se todas. O mesmo aconteceu em Portugal no 25 de Abril. E agora acontece no Egipto. Após a sua demissão a festa foi enorme. Milhares senão milhões festejaram na semana passada a queda do árabe. Agora o Egipto tem em suas mãos uma decisão díficil: Eleger alguém que possa conduzir o país a melhorar em muitos níveis. Mas o povo deve de pensar que em primeiro lugar está o povo, a saúde, e a alimentação. O resto vem depois. Força Egipto! Portugal está contigo!

Ser Licenciado e o emprego.

A situação do país não é das melhores como todos sabemos. Estamos numa "crise" que parece agravar-se a cada dia que passa. Arranjar trabalho é um dos grandes problemas hoje na sociedade, e parece estar cada vez mais difícil. Hoje em dia parece que nem ser licenciado chega para se ter um bom trabalho e se receber um bom ordenado. O que é bastante mal, porque estamos a pagar para andar na universidade para um dia ter uma boa vida e agora cada vez é dificil arranjar emprego. Como isto anda só falta daqui a uns anos já nem o doutoramento chegar para conseguirmos um emprego estável. O que eu pergunto é que se há pessoas com o 9º ano que têm um bom trabalho, são efectivos, e que são efectivos, porque razão não facilitar isso para um licenciado? Um licenciado ainda fez o 12º ano e o 1º ciclo da Universidade. Estas coisas a mim metem me impressão. Ou estamos num país cheio de boatos, ou estamos num país cheio de corrupção o qual só as cunhas é que servem. Acredito mais no último.

Quem tiver uma boa cunha tá safo para a vida toda. Mesmo que uma pessoa trabalhe durante anos e houver outro que nem faça metade, se esse tiver uma cunha é esse é que é metido. Em vez de avaliarem a pessoa pelo seu esforço e pelas suas notas, mais vale avaliar pela confiança que se tem nas pessoas. Mas mais tarde essa confiança até pode ser falsa. Pode ter sido só mesmo para meter a pessoa a trabalhar. Também não podemos esquecer que na actualidade as pessoas estão a pensar mais em si mesmas e no que lhes interessa, do que nos outros. Neste caso só pensariam nos outros como forma de se ajudar a si mesmo. Mais nada. Se tudo fosse avaliado pelo esforço e pelas notas quem sabe se o país agora não estaria melhor. O caso do Sócrates e a Universidade Independente. Como é que coisas destas ainda acontecem hoje em dia? Precisamos de uma revolução como a que aconteceu no Egipto?