sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Realidade

Caros leitores,
desde já agradeço a vossa visita ao meu blog. Nele pretendo falar sobre as mais variadas experiências vividas quer por mim, quer pelos outros.
Vou começar por fazer-vos uma pergunta: Será que todos nós vemos a verdadeira realidade? Será que a realidade que vemos, não é a verdadeira realidade?
No outro dia estava a falar com o meu colega de quarto sobre religião. Eu sou católico praticante, e ele não acredita em nenhuma religião. Cada um estava a defender as suas ideias, até que chegamos a um ponto em que ele defendia que a igreja é dona de grande parte da universidade de évora, já que andamos lá a estudar. Ora eu sei bem que a igreja enriquece muito às nossas custas pois hoje em dia o nome Deus e Jesus Cristo é usado para muita coisa. Poucos são aqueles que não se servem dos seus nomes para atingirem determinados fins.
Ora nenhum de nós que anda lá a estudar passa todos os dias pelo portão da universidade e tem esse pensamento. Estamos concentrados em mil e umas coisas, e raramente pensamos nesse tema.
Pago eu cerca de 1000 euros de propinas, fora senhas de almoço, comida no bar, os cafés retirados da máquina; tudo isto para que o governo e a igreja enriqueça às nossas custas.
Outro momento que se passou na semana passada. Dirigi-me a uma loja chinesa para comprar uns phones para o meu telemovel. Ora já sabem bem como são os phones dos chineses, não duram 5 dias. Comprei-os por 0.85€ e sai de lá feliz, já que foram os phones mais baratos que comprei até agora em toda a minha vida. Fantástico.
Vira-se o meu colega: "Custou-te 0.85€, mas as crianças que os fazem recebem 10 cêntimos por dia pelo seu trabalho".
Verdade? Ou mentira?
No nosso país já não existe escravatura, mas nos países do oriente, e China e arredores ainda existe. Crianças que merecem ter o direito de estudar tal como todos nós, que merecem ter uma vida normal para a sua idade e vêm - se naquela situação. E não é só! Há quem venda crianças por 0.50€! Vender pessoas? Onde é que já se viu isto! Em que mundo é que nós andamos?
Boa pergunta, em que mundo andamos...Eu não sei. Mas sei que a realidade que vemos, não é a verdadeira realidade. Há muita coisa que vemos, compramos e fazemos e que por detrás disso tudo aconteceu ainda muita coisa.
Lembrem-se, antes de comprarem algo, pensem no que aconteceu até isso chegar até vós.
Obrigado.

2 comentários:

  1. Concordo plenamente.
    Lembro-me perfeitamente destas conversas (eu sou o tal colega de quarto), e eu próprio penso muitas vezes neste tipo de situações.
    As pessoas deviam pensar mais naquilo que é necessário existir para elas poderem satisfazer os seus caprichos.

    PS- Ai o cajó!!!

    ResponderEliminar
  2. Olá Tiago,na realidade vivemoss num mundo cão.
    Nós queixamo-nos e muitas vezes com razão, pois neste país à beira mar plantado tudo poderia ser melhor senão houvesse tanta corrupção, e tanto desejo de poder. Mas na realidade o que se vive aqui não é nada comparado com o que se passa a nível mundial, onde existe crianças a trabalhar de sol a sol por um prato se sopa, onde os direitos humanos nem sequer fazem parte do vocabulário dessas pessoas. Onde pensar sequer em ter uma cama, escolaridade, direito à saúde não passam de uma utopia. Na realidade todos nós somos cooperantes com esta situação, pois continuamos a comprar produtos oriundos de países onde estes são fabricados a baixo custo porque existem milhares de seres humanos a serem explorados para esse fim. E esse é outro factor de desemprego no nosso país pois os empresários acabam por levarem as empresas para esses países onde a mão de obra é GRATUITA para poderem obter mais lucros. Sim digo gratuita porque barata também cá ela é . ou será que um trabalhador que trabalha e recebe o ordenado mínimo está por acaso a ter um ordenado elevado?

    ResponderEliminar